sexta-feira, 15 de julho de 2011

Os telefones celulares "Complicações móveis até para o 911 nos EUA, mas, pelo menos, lá existe uma solução, o Number Portability Administration Center


Chamadas feitas ao telefone de emergência 911 por pessoas que usam telefones celulares vêm aumentando radicalmente nos EUA. De acordo com a FCC (ANATEL dos EUA) , em cerca de 50% do atendimento dos 911, milhões de chamadas recebidas diariamente são colocadas pelos telefones móveis , e essa porcentagem continua a crescer de ano para ano.
Muitos usuários preferem hoje os celulares aos telefones fixos, por causa de sua portabilidade inata, fazendo com que a maioria dos usuários norte americanos, venha descartando completamente os telefones fixos de suas casas, para qualquer situação basta utilizar o telefone celular. Para muitos usuários ter a capacidade de chamar o 911 em caso de uma emergência é uma das principais razões que os motivam a possuir um telefone celular. Tanto que nos EUA, vem aumentando chamadas adicionais para o 9-1-1 através de telefones celulares de bons samaritanos que comunicam acidentes de trânsito, crimes ou outras emergências em andamento.
O Telefones móvel pode ser uma ferramenta de segurança pública importante, mas podem representar um problema para 9-1-1, quando o despachador (atendente do serviço de atendimento de emergências) tenta localizar os chamadores (usuários) pela incapacidade do chamador de fornecer sua localização ou quando a chamada está vinda de um telefone celular não inicializado (sem cadastro).
Durante os incidentes públicos, como a violência doméstica, distúrbios, acidentes, tiroteios, incêndios, etc, inúmeras chamadas serão recebidos em um único evento. É durante estas chamadas que o despachador deve determinar se há qualquer nova informação a ser obtida ou se é apenas alguém chamando para um incidente que já foi relatado. Portanto a falta de uma localização precisa cria dificuldades em incidentes em que é necessário ter apenas um único interlocutor.
quando o despachador recebe uma chamada de telefone celular que está aberta e, a princípio, nada é ouvido. Então, pouco antes da linha é desconectada, vozes pode ser ouvida ao fundo. O despachador, rapidamente, percebe o chamador feminina está sendo levada contra sua vontade mas, infelizmente, o telefone não pode ser localizado (georeferenciado). Durante uma chamada como esta, é difícil conseguir um local, se as informações 9dados de localização e identificação do usuário) neste momento não estão disponíveis ou se os sistemas de computador estão inoperantes. Então a questão é, "o que pode ser feito?"
O primeiro passo é contar com a capacidade profissional do despachador em sua não ouvir apenas o que está sendo dito, mas também ao que não está sendo dito e, ainda, que pode ser ouvido no fundo. Neste exemplo, o despachador foi capaz de determinar pelo ruído de fundo que o chamador estava em um veículo em movimento. Devido às inúmeras operadoras wireless disponível para os usuários, isso pode se tornar um processo de eliminação. No entanto, nos EUA existe uma ferramenta que pode ser aplicada para determinar rapidamente quais operadora do número em questão: o Number Portability Administration Center (NPAC).

NPAC é uma lei de aplicação/9-1-1, onde número de identificação pessoal (PIN) é registrado em um site. Através da NPAC, agências de aplicação da lei e 911 PSAP pode se cadastrar para acessar o Neustar IVR, um sistema automatizado que permite consultas para números de telefone ( PINs) este acesso é estritamente limitados a:

o Agências de aplicação da lei - as agências de os EUA ou de um estado ou sua subdivisão política que são incumbidos por lei para realizar investigações, ou fazer detenções por, violações dos federais, estaduais ou leis locais;

o PSAP - entidades que realizam atendimento da segurança pública funções ponto no desempenho de suas funções oficiais.

Os PINs podem ser compartilhados por usuários dentro de uma agência. Portanto, cada agência só precisa de um PIN. Uma vez que o fornecedor do telefone celular é conhecido, pode contatar o provedor para obter informações adicionais.
Cada prestador de serviço tem exigências diferentes. Um provedor pode querer um código de passagem, e outro pode precisar de verificar a sua identidade com sua agência de cada vez antes de dar informações. É o melhor para cada agência para descobrir o que os provedores de exigir e ter essa informação pronta quando solicitado. Dependendo das variáveis envolvidas, o provedor de telefone celular pode ser capaz de triangular o telefone celular para dar uma orientação básica do curso, se em movimento, ou uma área básica na qual para olhar. O local é muitas vezes não identificado, mas combinada com informação recolhida a partir da linha aberta, esta informação pode ajudar a salvar uma vida.
Alguns telefones celulares têm sistemas de GPS que podem ser rastreados através do software de computador pelo proprietário do telefone.
Agências com capacidade de identificação do chamador pode tomar o número de chamada, se ela veio de um telefone fixo, e executá-lo através do sistema manualmente utilizando o ANI / ALI sistema em suas 911 telas dando informações de endereço. A maioria das agências já está usando sistemas de mapeamento. No caso de uma chamada está chegando de um telefone celular, então você pode retransmitir as informações para uma possível localização de Fase II. Esses sistemas mesmo mapeamento também pode ser útil para aqueles chamadores que simplesmente não pode lhe dar um endereço, mas são capazes de dar instruções para o local. O despachador pode levar as informações e instruções dadas e traçar os rumos para um endereço possível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado! Sua participação é bem-vinda, contudo para evitar qualquer mal entendido vamos analisar sua opinião de forma democrática.

Loading...

Newsgula Headline Animator

Arquivo do blog