segunda-feira, 10 de março de 2014

ERBs transportadas por balões

O Brasil irá utilizar um processo de conexão de TIC baseado na solução “Project Loon”, que utiliza balões com quinze metros de diâmetro para criar uma rede com velocidade de 3G, estas ERBs flutuantes podem ser plotadas em grandes altitudes. Os balões de repetição de sinal transportam um sistema de antenas interligadas que tem a função básica de repassar aos receptores dos usuários localizados em áreas remotas, onde a implantação de uma infraestrutura com base em torres convencionais seria muito dispendiosa e/ou tecnicamente inviável. As antenas suspensas na estratosfera replicam entre si as portadoras, até que o sinal transmitido chegue ao receptor do usuário, para isso basta instalar uma antena externa (instalação convencional). Como os balões sofrem as ações dinâmica dos ventos, ou seja, sofrem oscilações provocadas pelas alterações climáticas, são equipados com antenas omnidirecionais (em forma de balão) e assim podem receber (RX) e transmitir (TX) os sinais de qualquer direção, através de dois receptores e um refletor, solução que permite captação de ondas de rádio de forma constante. Com esta solução será possível interligar as regiões do Brasil que ainda encontram-se em uma situação de exclusão digital, dificuldade que ainda atinge vários estados brasileiros.  Incluindo o interior do Rio de Janeiro que, por incrível que pareça, também apresenta várias regiões de sombra para redes de Comunicação Crítica (segurança e emergências).
O interior do Rio de Janeiro com sua topografia acidentada é um importante impedimento para aplicação de tecnologias digitais, principalmente o TETRA, solução, que caso seja implantada, irá exigir a implantação de várias ERBs e mesmo assim a cobertura será muito restrita.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado! Sua participação é bem-vinda, contudo para evitar qualquer mal entendido vamos analisar sua opinião de forma democrática.

Loading...

Newsgula Headline Animator