segunda-feira, 7 de março de 2011

SSP de São Paulo investe em radiocomunicação e aplica a Resolução 523 da ANATEL




Equipamentos são de última geração e compatíveis com rede de comunicação da PMESP.

Em apenas cinco anos, o Governo do Estado de São Paulo já investiu, por intermédio da Secretaria da Segurança Pública, R$ 284 milhões no sistema de radiocomunicação digital da Polícia Militar. Entre os objetivos estão intensificar a segurança na comunicação policial, evitando a interceptação das mensagens por pessoas que não são da corporação; bem como o compartilhamento e integração de dados visando melhores resultados no atendimento à população.
Em 2008, mais 3,2 milhões foram aplicados para complementar o sistema na Capital. Os equipamentos adquiridos são de última geração e compatíveis com a rede de comunicação da PM, permitindo, desta forma, o compartilhamento e a integração de dados - que só é possível por meio do sistema digitalizado -, visando melhores resultados no atendimento à população.
Além dos rádios digitais, algumas viaturas de grande porte foram equipadas com computadores de bordo, laptops e PDA's (Personal Digital Assistant) - para consultas on-line de placas de veículos, identidade de pessoas etc. Os equipamentos adquiridos fazem parte de um amplo sistema de telecomunicações que envolvem rádios, modems, centrais telefônicas 190/197, roteadores, repetidores, canais de alta velocidade e inúmeros softwares (programas).
As viaturas equipadas com o novo sistema são, de certo modo, um centro de inteligência, pelo qual é possível obter, com muita facilidade, dados on-line e em tempo real. Desta forma, ganha-se tempo e otimiza-se o efetivo. Uma viatura equipada com notebook e palmtop torna o trabalho do policial mais ágil.
O sistema permite, por exemplo, que no local da ocorrência o policial consulte um veículo, uma arma ou uma pessoa que está sendo abordada. É possível iniciar o registro da ocorrência sem usar a voz pelo sistema de rádio. Esse é o grande ganho. Futuramente, as ocorrências mais simples poderão até ser finalizadas no local do acontecimento.
Os modelos que estão sendo adquiridos e implantados no Estado de São Paulo pela Secretaria da Segurança Pública são os mesmos utilizados pelas forças policiais dos Estados Unidos, Austrália e Canadá, entre outros países onde a comunicação policial é referência.
A tecnologia digital continua sendo implantada e o objetivo da Secretaria da Segurança Pública é equipar todos os 645 municípios do Estado de São Paulo, priorizando aqueles onde os índices de criminalidade são maiores. O novo sistema permite a intercomunicação das polícias Militar, Civil e Técnico-Científica - por meio da integração de redes específicas, visando realizar operações conjuntas.

Não importa a tecnologia utilizada desde que, o serviço seja executado dentro das expectativas do cliente se o Estado de São Paulo estiver satisfeito com a solução tecnológica aplicada melhor para a sociedade paulista e para seus Profissionais de Segurança Pública e Emergência.
Adquirir o melhor e o mais eficiente deve ser o escopo de qualquer projeto, se o preço for razoável ótimo. Mas quando se pensa em Segurança Pública, na maioria das vezes o barato saí caro, portanto, é preferível sempre adquirir a melhor técnica. A prática tem comprovado que nem sempre um aquisição através de licitações de "técnica e preço" representa a melhor solução. Quando se lida com vidas humanas é preferível, que se tenha uma solução cara e eficiente do que um rádio "ching-ling" barato mas que não tem qualidade, robustez e eficiência

"Comunicações Salvam Vidas"



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado! Sua participação é bem-vinda, contudo para evitar qualquer mal entendido vamos analisar sua opinião de forma democrática.

Newsgula Headline Animator

Arquivo do blog